segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Amor

.
O “mal acabado” transforma-se em “perfeição”, o feio torna-se belo e o sofrer faz-se em paciência. Tudo isso em algumas batidas por minuto, no movimento do coração, afinal de contas, é pra isso que ele está lá, para se movimentar. E o que seria o amor se não um movimento, uma mistura? Sim, pois assim como as cores, a música e a vida se dão de movimentos e misturas, assim também é o amor ao misturar um ao outro, ao ligar o que antes parecia improvável, ao tornar em movimento o estático, fazendo um ritmo perfeito com as batidas firmes, mas sempre variantes, de um coração, seja ele jovem ou não, nobre ou não.

Machado de Assis certa vez disse que ninguém deveria escrever ou falar mais nada sobre o amor depois que Paulo (aquele mesmo, o Apóstolo de Jesus) o fez. E talvez ele tenha razão. Paulo entrou na história do mundo por várias razões e, certamente, uma delas foi a sua composição inspirada por Deus, o chamado Hino ao Amor, na primeira carta escrita aos Coríntios, capítulo 13.
Conhece a música “Monte Castelo” da Legião Urbana? Sua essência é justamente o texto bíblico de Paulo.

Evite preconceitos, ame antes de ser amado, leia a bíblia e cante qualquer coisa sobre o amor.
.

Artigos Relacionados

6 comentários:

Dante O velho disse...

"Ainda que eu tivesse fé a ponto de remover montanhas, se amor, seria como o bronze que ressoa ou o símbalo que retine..."
Acho que é isso que tá escrito, desde muito jovem eu procuro absorver estas palavras do Grande Paulo, mas a sua excência é infinitamente maior do que eu posso, ao menos, entender.
Sou apenas um velho humano, imperfeito e ateu, admirador do bem escrever, do bem falar e do bem como um todo.
Suas palavras são doces e exatas, expresso aqui minha admiração pro vc e sua escrita. Continue escrevendo sempre e avisando pra gente poder se deleitar com sua prosa.
bj

3 de fevereiro de 2011 10:31
Dante O velho disse...

# SEM amor #

3 de fevereiro de 2011 10:33
Priscilla disse...

"(...) ao ligar o que antes parecia improvável"
E foi assim que o eu (Priscilla) e você (Guto) se transformou em nós!

3 de fevereiro de 2011 12:57
Guto Cabral disse...

É exatamente isto, Chuchu...

E ao Dante, obrigado por suas palavras. É por causa disso que este blog ainda existe. Um abraço!

4 de fevereiro de 2011 23:19
itagoes disse...

Não pare de escrever!

8 de fevereiro de 2011 21:17
Arquimimo Novaes disse...

Ficou muito bacana o espaço. Bom gosto e conteúdo. Parabéns!

8 de fevereiro de 2011 23:43

Postar um comentário